Feeds:
Posts
Comentários

Pra alguém que se diz fascinada por literatura é até irônico o fato de eu nunca ter atentado pra ler algo de Gabriel García Márquez. O autor, ganhador do Prêmio Nobel de Literatura, em 1982, possui, entre os livros publicados, Memórias de Minhas Putas Tristes, Crônica de uma Morte Anunciada e Do Amor e Outros Demônios.

Tenho em mãos – há mais de um ano, creio eu, esquecido em cima de algum móvel da casa – Cem Anos de Solidão. A narrativa é assim: rápida e envolvente. Em duas páginas, por exemplo, cerca de cinco ou seis meses se passaram na história da pequena aldeia de Macondo. Então, quem se der ao prazer dessa leitura, não pisque, não se distraia! Fiz isso e foi pior pra mim, fiquei algumas páginas perdida, tentando achar o foco novamente.

Estou bem no começo, só li dois capítulos, mas tenho gostado bastante do que li. O próximo post deve vir com trechos do livro. Até agora, não consegui respirar entre as linhas.

p.s.: por algum motivo, o wordpress não está me permitindo colocar fotos aqui =| mas a capa do livro é essa: cem anos de solidão.

bom, o ano de 2010 foi péssimo pra mim com relação aos livros.

fiquei orfã da biblioteca da universidade católica de pernambuco, já que me formei, em jornalismo, no final de 2009. então, a oferta não foi tanta, a procura muito menos, admito.

esse post é pra dizer: tenho esperanças de que isso irá mudar!

começo a ler “100 anos de solidão”, de gabriel garcía márquez.

1, 2, 3 e…

E… voltei!

Não sei o que é, isso que me dá de vez em quando de não conseguir terminar nenhum livro. É um tempo que chega a durar uns seis meses, extremamente prejudicial pro blog – eu sei. Começo vários, mas em nenhum vejo o estímulo de chegar as páginas finais.

Porém, creio eu, essa ‘paralização’ intelectual terminou. Consegui ler Pulp, de Bukowisk, até o fim. Gostei. Apesar de ser um dos livros mais idiotas que já li na vida e de querer bater no personagem principal quase sempre, ele me estimulou a voltar ao vício da leitura.

Agora, leio Aos Meus Amigos, de Maria Adelaide Amaral, que inspirou a série Queridos Amigos, da Rede Globo. Bem no comecinho, mas gostando bastante e me deixando envolver, afinal.

Do site Terra Brasil:

Morre J.D. Salinger, autor de ‘Apanhador no Campo de Centeio’

J.D. Salinger, autor do famoso livro O Apanhador no Campo de Centeio, morreu aos 91 anos em New Hampshire, nos Estados Unidos. De acordo com a AP, a morte do escritor foi anunciada por seu filho, mas nenhuma data foi divulgada.

O “Apanhador”, seu livro mais famoso, foi lançado em 1951 e narra as aventuras do jovem Holden Caulfield. Salinger optou por uma vida isolada em sua casa em Cornish, New Hampshire, durante boa parte de sua vida.

http://diversao.terra.com.br/gente/noticias/0,,OI4233310-EI13419,00-Morre+JD+Salinger+autor+de+Apanhador+no+Campo+de+Centeio.html

____________________________

O Apanhador é, pra mim, um dos melhores que já li, o que aconteceu no mínimo cinco vezes. É isso.

Genteee, esse vídeo é uma campanha do Conselho do Livro da Nova Zelândia com o objetivo de promover a leitura no País. Nele, as páginas do livro ganham vida para contar uma história. É lindo!

Adeus 2009

Então é isso: adeus 2009.

E bem-vindo 2010, ano em que tentarei me redimir dos meus posts cada vez menos frequentes.

O triste fim da Flor da Inglaterra.

Nunca terminei de ler

=/